Páginas

quarta-feira, 31 de outubro de 2012


Não conheço uma pessoa que não goste de acordar com um bilhete, um carinho, um café na cama, um beijo, um abraço, um telefonema “dormiu bem?”, um sorriso, um chamego. Não conheço uma única alma que nunca pensou em ter alguém para ligar no meio da tarde só para dizer que estava com saudade. Aposto que você, você que diz não ser romântico, se emociona quando vê uma cena de amor no cinema. Sei que você gosta que te façam mimo quando você adoece. Sei que você gosta de ouvir como é importante para alguém. Sei que você gosta de florzinhas na mesa na hora do jantar, sei que você gosta de dançar coladinho, sei que você fica feliz ao receber um cd gravado com músicas exclusivas. Músicas exclusivas que alguém exclusivo gravou para você simplesmente pelo fato de você ser exclusivo.”

Clarissa Corrêa
"O amor é perigoso para quem não resolveu seus problemas. O amor delata, o amor incomoda, o amor ofende, fala as coisas mais extraordinárias sem recuar. O amor é a boca suja. O amor repetirá na cozinha o que foi contado em segredo no quarto. O amor vai abrir o assoalho, o porão proibido, fazer faxina em sua casa. Colocar fora o que precisava, reintegrar ao armário o que temia rever. O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela."

Fabrício Carpinejar

terça-feira, 30 de outubro de 2012

“Também já não tenho aquelas queixas infantis, na base do “tudo dá errado pra mim”, ou autopunições como “eu sou uma besta, faço tudo errado”. Nada é errado, quando o erro faz parte de uma procura ou de um processo de conhecimento.”
“Milhares de pessoas nascem e morrem, milhares de relacionamentos começam e terminam, um objeto que quebra, a garrafa de café quase vazia, uma amizade de anos que já nao era a mesma… Tudo, do simples ao inabalável, tudo chega ao fim. E há milhares de finais acontecendo todo dia.”

Tati Bernardi
“Nós nascemos sozinhos. Nós vivemos sozinhos. Nós morremos sozinhos. E qualquer coisa neste intervalo que possa nos dar a ilusão de que não estamos sós, nós nos agarramos a ela.”
Voltaire


“Nunca lhe confessei abertamente o meu amor, mas, se é verdade que os olhos falam, até um idiota teria percebido que eu estava perdidamente apaixonado.”
Emily Brontë

“A gente demora pra aceitar, arruma novecentas desculpas para a falta de jeito do outro. Ah, ele é confuso. Ah, ele está tenso. Ah, ele tem medo. Ah, ele é maluco. Ah, ele isso. Ah, ele aquilo. Desculpa, mas quem quer estar junto pensa ah, que saudade. Ah, que falta ela me faz. Quem gosta, gosta. Sem complicações. Sem armações e armaduras.”
Clarissa Corrêa

“Quando você encontrar a outra metade da sua alma, você vai entender porque todos os outros amores deixaram você ir. Quando você encontrar a pessoa que realmente merece o seu coração, você vai entender porque as coisas não funcionaram com todos os outros.”
Rubem Alves

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

"Sabe quando você vê aquele cara fofo e ele sorri, e seu coração meio que derrete feito manteiga em pão quente?"
"Mas não te procuro mais, nem corro atrás. Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta... Tens meu número, na verdade meu coração, então se sentir vontade de falar comigo ou me ver, me procura você."

Caio F. Abreu
"Sabe aquele momento desesperador quando chegamos a imaginar como seria ter uma máquina do tempo? Você pode apertar um botão vermelho e escolher voltar um tanto, a ponto de reviver aquele passado em que você nem conhecia a pessoa. Ou então, se você nem sonha retroceder tão longe, se seu desejo é somente passar um corretivo nos estragos que fizeram a pessoa que você amava te odiar, bem, se você imagina essa segunda opção, sinto muito, você ainda tem uma ligação muito profunda com a pessoa. Funciona assim comigo. Eu não quero esquecê-la. Na maior parte do tempo eu só queria apagar minhas intempestividades."

Gabito Nunes

”- Moço, e a saudade sai por onde?
- Pelos olhos.”
Rodrigo Victor

“É isso que eu gosto em você, seu realismo, sua espontaneidade, sua falta de modos. É isso que eu acho bonito numa pessoa, você vive sua vida, aceita suas limitações, não dá muita bola para o que os outros vão achar de você. Às vezes eu acho as pessoas tão igualmente diferentes, sempre pendurando arengas no pescoço e fazendo um esforço tremendo para parecer legal. Você é você. Estou certo que existem almas formidáveis por toda a cidade, mas se eu fui gostar logo de você, isso quer dizer alguma coisa.”
Gabito Nunes.
“São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza.”

Ana Jácomo.

domingo, 28 de outubro de 2012

Juízo Final

Se o homem soubesse amar não elevaria a voz nunca, jamais discutiria, jamais faria sofrer. Mas ele ainda não aprendeu nada. Dir-se-ia que cada amor é o primeiro e que os amorosos dos nossos dias são tão ingênuos, inexperientes, ineptos, como Adão e Eva. Ninguém, absolutamente, sabe amar. D. Juan havia de ser tão cândido como um namoradinho de subúrbio. Amigos, o amor é um eterno recomeçar. Cada novo amor é como se fosse o primeiro e o último. E é por isso que o homem há de sofrer até o fim do mundo - porque sempre há de amar errado.

Nelson Rodrigues
"A vida só é preciosa porque termina, garoto."

“Tem gente que passa a vida toda lutando contra alguma coisa. Uns lutam contra a balança, outros contra a morte, alguns (doidos!) lutam contra o amor. Eu decidi não lutar mais contra aquilo que não posso mudar. Certas coisas a gente precisa aceitar sem bater o pé ou fazer cara feia.”
Clarissa Côrrea.

“Tudo que eu queria te dizer era tudo que eu não posso mais te dizer, ou tudo que eu queria ouvir mais vezes, muito tempo antes de chegarmos a esse ponto de partida, minha partida, tão adiada partida.”
Gabito Nunes.

sábado, 27 de outubro de 2012

"Durma bem, eu não estou com medo
Aqueles que amamos estão aqui comigo
Guarde um lugar para mim
Porque quando eu acabar, eu estarei indo
Viver eternamente"

Avanged Sevenfold
‎"Você vai descobrir que amar é você fazer a ultrapassagem da ponte. Amar é uma fragilidade sim e não tem como você infringir isso. Cada vez que a gente ama, a gente se sente frágil, porque é como se a gente ficasse na mão do outro, não é assim? E é aí que entra a força daquele que te ama de verdade, ele não te faz sentir nas mãos dele, ele te faz sentir dando as mãos a ele, aí é diferente. Uma coisa é você estar na mão do outro, outra coisa é você estar segurando a mão do outro." 
"E pagando essa minha língua afiada que vulgariza qualquer tipo de mulher que se aproxime com maiores intenções de um homem, me vi quase implorar por um amor que além de não ser reciproco, não era amor. Não era nada. Mas e se fosse? E se fosse, não seria. Simplesmente, não seria. E não foi. Desse teu coração cigano, que sutilmente se dispõe a viver em qualquer lugar, me vejo distante."
‎"— Estou apaixonado — ele disse.
Não respondi. Fechei um cigarro.
— Você acredita no amor? — ele perguntou.
— Tenho que acreditar. Aconteceu comigo uma vez."

BUKOWSKI, Charles. Ao Sul de Lugar Nenhum - Colhões.
Caio Fernando Abreu - Pálpebras de Neblina
Fim de tarde. Dia banal, terça, quarta-feira. Eu estava me sentindo muito triste. Você pode dizer que isso tem sido freqüente demais, ou até um pouco (ou muito) chato. Mas, que se há de fazer, se eu estava mesmo muito triste? Tristeza-garoa, fininha, cortante, persistente, com alguns relâmpagos de catástrofe futura. Projeções: e amanhã, e depois? e trabalho, amor, moradia? o que vai acontecer? Típico pensamento-nada-a-ver: sossega, o que vai acontecer acontecerá. Relaxa, baby, e flui: barquinho na correnteza, Deus dará. Essas coisas meio piegas, meio burras, eu vinha pensando naquele dia. Resolvi andar. Andar e olhar. Sem pensar, só olhar: caras, fachadas, vitrinas, automóveis, nuvens, anjos bandidos, fadas piradas, descargas de monóxido de carbono. Da praça Roosevelt, fui subindo pela Augusta, enquanto lembrava uns versos de Cecília Meireles, dos Cânticos: "Não digas 'Eu sofro'. Que é que dentro de ti és tu? / Que foi que te ensinaram/ que era sofrer ?" Mas não conseguia parar. Surdo a qualquer zen-budismo, o coração doía sintonizado com o espinho. Melodrama: nem amor, nem trabalho, nem família, quem sabe nem moradia - coração achando feio o não-ter. Abandono de fera ferida, bolero radical. Última das criaturas, surto de lucidez impiedosa da Big Loira de Dorothy Parker. Disfarçado, comecei a chorar. Troquei os óculos de lentes claras pelos negros ray-ban - filme. Resplandecente de infelicidade, eu subia a Rua Augusta no fim de tarde do dia Tão idiota que parecia não acabar nunca. Ah! como eu precisava tanto de alguém que me salvasse do pecado de querer abrir o gás. Foi então que a vi. Estava encostada na porta de um bar. Um bar brega - aqueles da Augusta-cidade, não Augusta-jardins. Uma prostituta, isso era o mais visível nela. Cabelo malpintado, cara muito maquiada, minissaia, decote fundo. Explícita, nada sutil, puro lugar comum patético. Em pé, de costas para o bar, encostada na porta, ela olhava a rua. Na mão direita tinha um cigarro, na esquerda um copo de cerveja.
E chorava, ela chorava. Sem escândalo, sem gemidos nem soluços, a prostituta na frente do bar chorava devagar, de verdade. A tinta da cara escorria com as lágrimas. Meio palhaça, chorava olhando a rua. Vez em quando, dava uma tragada no cigarro, um gole na cerveja. E continuava a chorar - exposta, imoral, escandalosa - sem se importar que a vissem sofrendo. Eu vi. Ela não me viu. Não via ninguém, acho. Tão voltada para a própria dor que estava, também, meio cega. Via pra dentro: charco, arame farpado, grades. Ninguém parou. Eu, também, não. Não era um espetáculo imperdível, não era uma dor reluzente de néon, não estava enquadrada ou decupada. Era uma dor sujinha como lençol usado por um mês, sem lavar, pobrinha como buraco na sola do sapato. Furo na meia, dente cariado. Dor sem glamour, de gente habitando aquela camada casca grossa da vida. Sem o recurso dessas benditas levezas de cada dia - uma dúzia de rosas, uma música de Caetano, uma caixa de figos. Comecei a emergir. Comparada à dor dela, que ridícula a minha, dor de brasileiro-médio-privilegiado. Fui caminhando mais leve. Mas só quando cheguei à Paulista compreendi um pouco mais. Aquela prostituta chorando, além de eu mesmo, era também o Brasil. Brasil 87: explorado, humilhado, pobre, escroto, vulgar, maltratado, abandonado, sem um tostão, cheio de dívidas, solidão, doença e medo. Cerveja e cigarro na porta do boteco vagabundo: carnaval, futebol. E lágrimas. Quem consola aquela prostituta? Quem me consola? Quem consola você, que me lê agora e talvez sinta coisas semelhantes? Quem consola este país tristíssimo? Vim pra casa humilde. Depois, um amigo me chamou para ajudá-lo a cuidar da dor dele. Guardei a minha no bolso. E fui. Não por nobreza: cuidar dele faria com que eu me esquecesse de mim. E fez. Quando gemeu "dói tanto", contei da moça vadia chorando, bebendo e fumando (como num bolero). E quando ele perguntou "porquê?", compreendi ainda mais. Falei: "Porque é daí que nascem as canções". E senti um amor imenso. Por tudo, sem pedir nada de volta. Não-ter pode ser bonito, descobri. Mas pergunto inseguro, assustado: a que será que se destina?
"Coração doía (...). Melodrama: nem amor, nem trabalho, nem família, quem sabe nem moradia - coração achando feio o não-ter."

Caio F. Abreu

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

"Querida Kitty,
Você pode me dizer por que as pessoas se esforçam tanto para esconder seu eu verdadeiro? Ou por que sempre me comporto de modo muito diferente quando estou perto dos outros? Por que as pessoas confiam tão pouco nas outras? Sei que deve haver um motivo, mas algumas vezes acho horrível não poder confiar em ninguém, nem mesmo nas pessoas mais próximas."

O Diário de Anne Frank.

"...Sente raiva por ser secretamente boba, romântica e demodê. Se derrete mais rápido que o sorvete napolitano na xícara de sopão quando a mocinha diz “você me fez acordar com um sorrisão no meu rosto”. Chora na frente de ninguém, ai de ti se mais alguém souber. E você não vê a hora de um príncipe encantado por ti libertar esse riso largo atrofiado, mas sabidamente bonito.”
Gabito Nunes

“Homem não sabe se despedir: ele desaparece, prefere não mais falar a explicar suas fraquezas. Lida mal com o sofrimento. Decide sumir a ser rejeitado. Resmunga, não chora. Muda de assunto, não chora. Você nunca vê seu pai em prantos porque ele engole as lágrimas. Você nunca enxerga seu marido se emocionando porque ele vai para outra sala controlar a respiração.”
Fabrício Carpinejar

"Felizes são aqueles que aprendem a administrar seus conflitos, que aceitam suas oscilações de humor, que dão o melhor de si e não se auto-flagelam por causa dos erros que cometem. Felicidade é serenidade. Não tem nada a ver com piscinas, carros e muito menos com príncipes (ou princesas) encantados (as).
O amor é o prêmio para quem relaxa. As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas.”

Martha Medeiros

“Quando você encontrar a outra metade da sua alma, você vai entender porque todos os outros amores deixaram você ir. Quando você encontrar a pessoa que  realmente merece o seu coração, você vai entender porque as coisas não funcionaram com todos os outros.”

Rubem Alves.

“Abençoada seja a leveza, meu Deus. Abençoadas sejam as dádivas generosas que vêm nos lembrar que viver pode ser mais fácil. Que amar e ser amado pode ser mais fluido. Que dá pra sair da frequência da escassez e sintonizar a estação da disponibilidade, onde alegrias já cantam, mas a gente não ouve. Abençoadas sejam as dádivas que vêm nos lembrar, com alívio, que há lugares de descanso para os nossos cansaços. Que há lugares de afrouxamento para os nossos apertos. Que dá pra mudar o foco. Que não é tão complicado assim saborear a graça possível que mora em cada instante. Abençoadas sejam as dádivas generosas que nos surpreendem. Elas não sabem o quanto às vezes, tantas vezes, nos salvam de nós mesmos.”
Ana Jácomo.
“Não importa o que se ama. Importa a matéria desse amor. As palavras são só um princípio… Porque no amor os princípios, os meios e os fins são apenas fragmentos de uma história que continua para lá dela, antes e depois do sangue breve de uma vida. Tudo serve a essa obsessão de verdade a que chamamos amor.”

Inês Pedrosa
"Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.
Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o "alguém" da sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.
O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você.
No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Parece um tumor na medula óssea,com metástase em todas as partes do corpo,com o tempo de sobrevida de apenas um mês... Mas é só você longe de mim.
Estava completamente certo: Estava completamente errado!

Orlando Pedroso
Como diria a serpente ao picar o caçador: Sorry, acabou o encanto meu amor.

Orlando Pedroso
Tum acelerado, sentar bem do lado, abraço apertado... E tudo começa com um beijo bem dado.

Orlando Pedroso
Os dois eram um só, agora são dois sós.

Orlando Pedroso
Plantou um livro, escreveu um filho, teve uma árvore. Não falta mais nada, pode morrer em paz.

Orlando Pedroso 
Comprou alface, chicória e tomate? Comprou.
Cenoura, beterraba e mate? Comprou.
Manjericão, salsinha e abacate? Comprou.
Lembrou que nossa fome não tem comida que mate? Coração...

Orlando Pedroso

terça-feira, 23 de outubro de 2012

"Foi por teu amor, menina! Que eu me vi penar! 
Dia, noite, dia, oh, menina… 
Nem sombra de luar…
Nem sol na minha esquina…
Nem sombra de luar…


Zé Ramalho
Eu desço dessa solidão
Espalho coisas sobre
Um Chão de Giz
Há meros devaneios tolos
A me torturar(…)


Zé Ramalho

‎"Nunca diga te amo se não te interessa. 
Nunca fale sobre sentimentos se estes não existem. 
Nunca toque numa vida se não pretende romper um coração. 
Nunca olhe nos olhos de alguém se não quiser vê-lo se derramar em lágrimas por causa de ti.
A coisa mais cruel que alguém pode fazer é permitir que alguém se apaixone por você quando você não pretende fazer o mesmo."

Mário Quintana
"Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente,e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Eu não vou estranhar o céu . . . Sabe porque? Porque.. Ser seu amigo já é um pedaço dele."
Vinícius de Moraes
“Eu disfarço muito e quase ninguém percebe. Tem um monte de gente por aí que acha que me conhece o suficiente. Outros tantos acham que sabem o bastante sobre a minha vida. Entra no meu mundinho quem eu deixo. Acho que a gente não deve escancarar a vida, tem coisa que é só nossa e de mais ninguém. Quanto mais a gente dá liberdade para os outros mais eles se sentem no direito de se intrometer e meter o bedelho. Não gosto, pois da minha vida cuido eu.”

Clarissa Corrêa
"Você quer entender o que é um ano de vida: pergunte a um estudante que acabou de ser reprovado no exame de fim de ano. Um mês de vida: fale com a mãe que acabou de dar à luz um filho prematuro e que está esperando que ele saia da incubadora para segurar o bebê nos braços, são e salvo. Uma semana: pergunte a um homem que trabalha numa fábrica ou numa mina para alimentar a família. Um dia: pergunte a duas pessoas loucamente apaixonadas que estão esperando para se encontrar. Uma hora: pergunte a um claustrófobo, preso num elevador quebrado. Um segundo: olhe a expressão de um homem que acabou de escapar de um acidente de carro, e um milésimo de segundo: pergunte ao atleta que acabou de ganhar a medalha de prata nas Olimpíadas e não a medalha de ouro pela qual treinou durante toda a sua vida."
E se fosse verdade

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

"E eu nunca fico satisfeito com nada. Ao menos não aquela satisfação que te deixa querendo mais, cheio de curiosidade: as satisfações que sinto com outras pessoas normalmente são sempre regurgitantes, do tipo “se você me der mais uma colherada é provável que eu vomite nessa sua cara”. E mesmo sabendo que as nossas chances são praticamente nulas, eu gostaria de entender por que a gente ainda se procura."

Gabito Nunes
"Se arrisca mais, por você. Tenha coragem para dizer tudo que tens aí guardado. Seja forte para conseguir se manter calada perante alguns. Muda de rumo. Quando te mandarem ir por lá, vai pelo outro caminho. Ou vai apenas, pelo caminho do teu coração. Se você não aguentar mais fingir… Chore. Depois que você acabar de chorar, vai sentir-se mais leve. E então vai levantar a cabeça, lavar o rosto, pôr uma roupa bonita no corpo, um sorriso escandalosamente lindo no rosto e dizer que chega, que você vai é ser feliz. Eu sei, é assim mesmo. E vai funcionar! 

Não diga “nunca”, nunca. Irônico, não? Mas não diga. Porque essa vida é incrivelmente engraçada. Mais uma coisa. Você não pode ter medo que as pessoas te machuquem, viu. Porque as pessoas vão te machucar de vez em quando, até mesmo aqueles que você mais confia e admira. Não vão fazer por mal, mas somente porque são humanos. Cometemos erros ridículos com pessoas maravilhosas. Faz parte. Não esquece que cada um é cada um. Somos diferentes. Graças a Deus, somos. Vive um dia por vez, sem pressa e sem querer ser mais rápida que o tempo. E por favor, vai ser feliz, que tu ainda tem muito por viver."

sábado, 20 de outubro de 2012

Quando foi que a gente se perdeu? Por que a gente se perdeu? O que foi que a gente perdeu?
Tinha amor e amizade, tinha companheirismo, tinha até abraço e beijo. Não acredito que nos perdemos.
Deixamos que acabasse, pensamos que já era em tempo. - demos um tempo, terminamos - ou não. Nos perdemos. Perdemos-nos nos olhares e nos risos que deixaram de existir, havia receio e medo (só não saberíamos responder de que).
Ainda existia alguma coisa, porém comprometida. Coisa comprometida com o amor que restava, que sobrava, que deixamos esfriar em cima da mesa. Amor que foi deixado de lado e "esquecido". Tolos. Eu ainda queria mais.
Queríamos mais e tivemos mais. - não foi a mesma coisa - Acabou o encanto, já era em tempo (ri quando pensei nisso). Mentira. Mentira o que sentimos. Ainda restavam lembranças, que já não bastam ou que bastam há tempos.
Nos deixamos cativar por outros, mas os outros, são só os outros - sabemos bem. A gente sabia, mas não acreditava: "Te quero, pra sempre e sem pressa."

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

"Torça bem as lágrimas, uma a uma, até desencharcar o coração.
Depois, estenda a tristeza pra secar no varal da autogentileza.
Lá costuma bater sol."

Ana Jácomo
"São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza."

Ana Jácomo
"Mente é casa que não tem paredes, mas nos acostumamos a viver como se tivesse. E, não é raro, passamos temporadas no cômodo mais apertado."

Ana Jácomo
"Depois de tantas buscas, encontros, desencontros, acho que a minha mais sincera intenção é me sentir confortável, o máximo que eu puder, estando na minha própria pele. É me sentir confortável, mesmo acessando, vez ou outra, lugares da memória que eu adoraria inacessíveis, tristezas que não cicatrizaram, padrões que eu ainda não soube transformar, embora continue me empenhando para conseguir."

Ana Jácomo 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

‎"Um dia uma criança chegou diante de um pensador e perguntou-lhe: "Que tamanho tem o universo?" Acariciando a cabeça da criança, ele olhou para o infinito e respondeu: "O universo tem o tamanho do seu mundo."
Perturbada, ela novamente indagou: "Que tamanho tem o meu mundo?" O pensador respondeu: "Tem o tamanho dos seus sonhos." Nunca desista de seus sonhos.

Augusto Cury

"Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.
Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.
Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira."

Ferreira Gullar

"Tantos, meu Deus, os que se foram. Acordo com a voz safada de Cazuza repetindo em minha orelha fria: “Quem tem um sonho não dança, meu amor”. Eu desperto, e digo sim. E tudo recomeça."
Caio Fernando Abreu (A segunda - Carta para além dos Muros)

“Depois, sentados na grama do pasto, ficávamos comendo as frutas, rindo e conversando. E, para consolidar a nossa amizade, uma troca de beijos, que o céu azul abençoava.”
Triângulo do Amor (Domingos Paschoal Cegalla)
“E continuava caindo, caindo, caindo. Será que essa queda nunca teria fim?” Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll)
"- Ingrato! - respondeu ela com um sorriso meigo, acariciando com uma das mãos os negros cabelos do marido. - Fazer a tua felicidade é o meu constante cuidado e, no meu pensamento, tu és inseparável..."
"Graças a ele, pude penetrar de novo na sociedade, e readquirir, no convívio de meus iguais em educação, a elegância, o verniz mundano que perdera nos meus anos de caçadas e de vagabundagens."

terça-feira, 16 de outubro de 2012

"Só vejo beleza no que transborda, só me interesso pelo que ultrapassa...o comum não me comove, o banal não me toca. Porque eu gosto é do avesso e o contraditório é que me fortalece"

Verônica H.
"Ei, você tá vendo aquela garota ali - meio baixa, meio quieta, meio esquecida? Ela é toda de meios. Ela é imcompleta e não tem meios de se sentir bem com isso."

Verônica H.
"Deve ter explicação científica, meu medo. Deve ser patológico. Acho que minhas células pensam "Ah, ela tá ficando feliz. Adrenalina, dose 7. Pode ser tudo uma ilusão, guarda o sosrriso." Eu obedeço. Abaixo a cabeça e concordo. Por que alguém pensaria só em mim? As amigas dele já devem ter cansado dos pedidos de casamento bem humorados. Ele deve fazer isso sempre. Bobinha, você."

Verônica H.
"Eu gosto de textos que começam com a palavra 'eu'. Tenho que tomar cuidado com a minha tendência a me incluir em todos os assuntos, minha mania de querer saber de tudo, estar em todos os lugares."

Verônica H.
"Por trás de tudo são só quatro letras. É só fonética, morfologia. Sem acento, substantivo qualquer. Nem verbo não é. AMOR não sabe o que é amar."

Verônica H.
"Ele olha, ela devolve o olhar. Ambos sabem a improbabilidade dessa troca de olhares levá-los a algum lugar.
Ele está pensando no significado daquele sorriso tímido, disfarçado entre mechas de cabelo castanho que insistem em esconder o rosto que prendeu sua atenção dentre tantos outros.
Ela está pensando em como é boba e em quantas cantadas já depositou sonhos de amor eterno. Não adianta procurar um lugar firme para se amparar."

Verônica H.
"Eu tenho sono e já não posso mais dormir. Eu tenho ânsia, não consigo mais comer. Eu tenho medo e já não quero mais.
Meus pés perderam a função básica de equilibrar meu corpo na minha existência. Não diria que a culpa é física porque fui eu quem sobrecarreguei minha mente e me tornei incapaz de responder sobriamente por um "tudo bem?". Isso pesa. É pesado saber que não está nada bem.
Eu percebo no espelho que meu sorriso não chega aos olhos. Eu posso enganar a todos, posso até me enganar. Mas é de noite que eu me revelo como sou: sozinha."

Verônica H.
"Ei, não tenta entender as voltas que eu dou sozinha. Deixa só um mistério estranho de filme trash. Ninguém quer descobrir o que há por trás da mulher diferente, mas ela ainda é a mulher diferente que deve ser descoberta. 
Passo horas falando pra ficar muda de repente, passo toda a segurança do mundo pra me derrubar em medos bobos. É que tudo fica mais legal em constante mudança. E eu nem sei mais ser a mesma sempre."

Verônica H.
“Olhando assim, ninguém diz. Mas há toda uma explicação do porquê eu ser desse jeito. Só eu mesmo, que sempre estive comigo, aguentando as barras, as rupturas, os socos na cara.”

Gabito Nunes
"Eu te amo, Dexter. Amo muito. Só não gosto mais de você."

Trecho de "Um dia"
Todo dia ela faz tudo sempre igual. O despertador toca, ela acorda preguiçosamente desarrumada e corre para o banheiro, toma um banho com o sabonete líquido que promete uma pele aveludada, lava o cabelo com o shampoo que reconstrói o que a coloração da moda destruiu, substitui o café da manhã que estava acostumada a tomar na casa de sua mãe por um iogurte que promete deixá-la mais leve, a roupa deve dar a impressão de que ela acorda linda e a maquiagem deve esconder as olheiras causadas pelas noites em busca do príncipe encantado. O cotidiano da música de Chico Buarque é belíssimo. O nosso, nem tanto assim.

domingo, 14 de outubro de 2012

“O sorriso do irreparável gelou-me de novo. E eu compreendi que não podia suportar a ideia de nunca mais escutar esse sorriso. Ele era para mim como uma fonte no deserto.” Antoine de Saint-Exupéry

sábado, 13 de outubro de 2012

"ADEUS; A-DEUS. Não é uma despedida, é entregar nas mãos de Deus aquilo que você não pode mais cuidar "

"Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia. A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. A gente se acostuma a acordar de manhã, sobressaltado por que está na hora. A tomar café correndo porque está atrasado. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus por está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia. A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir ao telefone: “Hoje eu não posso ir”. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisa ser visto. A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e de que precisa. E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais E a procurar mais trabalho para ganhar mais dinheiro para ter com que pagar nas filas em que se cobra. E a gente acostuma a andar na rua e ver cartazes. Abrir as revistas e ver anúncios. Ligar a televisão e assistir comerciais. Ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na rua na infindável caçada aos produtos.
 A gente se acostuma a coisas demais. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, uma revolta acolá. A gente se acostuma a uma vida medíocre e sem sonhos de realização. A gente se acostuma para preservar a pele. A gente se acostuma para poupar a vida. Que aos poucos se gasta de tanto se acostumar, se perde de si mesma." (...)

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

"Continuaram a acariciar-se sem desejo e atormentando-se com as súplicas e as recordações.Saborearam a amargura de uma despedida que pressentiam,mas que ainda podiam confundir com uma reconciliação."

Rubem Alves
"O amor tranquilo tem reconhecido valor, mas procura os iguais. Só o ódio é capaz de unir diferentes como nós."

Gabito Nunes
“Ela gosta de música, dias bonitos, cachorros, brisa do mar, sol, frio, sentir o vento dançando nos cabelos, rir até a barriga doer, falar besteira, desenvolver “teorias” malucas, filmes, viajar, chocolate, arte, você…”

Clarissa Corrêa
"Mas a verdade é que eu odeio o equilíbrio. Porra, se eu tô com raiva, eu tô com raiva! Se eu tô com ciúme, não vou sorrir e mostrar controle porque preciso parecer forte e bem resolvida."

terça-feira, 9 de outubro de 2012

"Mas você me conhece, eu sou orgulhosa. Queria ser sozinha, menina independente. Tentei construir uma vida pra mim. Novos amigos. Novas roupas. Cortei o cabelo. Pintei as unhas de preto. Até me matriculei em aulas de inglês. Você nem me reconheceria e é esse o problema. Não consigo viver em um mundo onde nós não nos conhecemos mais. Como você está? Que músicas escuta? Ainda tem insônia de madrugada? Eu preciso saber. Eu preciso.''
"Queria te encontrar de novo. Num futuro próximo. Quando as coisas fossem totalmente diferentes. É isso, meu amigo. Me separar de você foi difícil, machucou. Dizem que algumas pessoas só podemos amar, estando longe delas. Nunca acreditei muito nessa teoria, se você ama de verdade uma pessoa, você deve ficar perto dela. Um dia, ficaremos juntos de novo. Enquanto esse dia não chega, o que vai me fazer feliz, são as lembranças, de tudo que aconteceu. Todo nosso esforço pra se encontrar, um amor de amigo verdadeiro que nos guiava. Aquela tarde tediosa que foi a melhor da minha vida, porque eu passei toda ao seu lado. Tudo pode acontecer, não espero que um dia, voltemos a ficar juntos mas se isso acontecer, ficarei mais feliz, meu amigo. E uma coisa é certa, com você te amo, sem você.. te amo mais."
"Chico Xavier costumava ter em cima de sua cama uma placa escrita: "ISSO TAMBÉM PASSA".
Aí perguntaram para ele o porquê disso. E ele disse que era para se lembrar que quando estivesse passando por momentos difícieis, poder se lembrar de que eles iriam embora. Que iriam passar. E que ele teria que passar por aquilo por algum motivo. Mas essa placa também era para lembrá-lo que quando estivesse muit

o feliz, não deixar tudo para trás e se deixar levar, porque esses momentos também iriam passar e momentos difíceis também viriam de novo. E é exatamente disso que a vida é feita: "MOMENTOS". Momentos os quais temos que passar, sendo bons ou não, para o nosso próprio aprendizado. Por algum motivo nunca esquecendo do mais importante: NADA É POR ACASO. Absolutamente nada. Por isso temos que nos preocupar em fazer a nossa parte, da melhor forma possível. A vida nem sempre segue o nosso querer, mas ela é perfeita naquilo que tem que ser."

sábado, 6 de outubro de 2012

"Por um instante quis sentir falta de alguém, mas não consegui me lembrar de ninguém. Por outro instante quis inventar uma pessoa, mas eu era tão de verdade naquele momento que me faltou capacidade para ser enganada."

Tati Bernardi

terça-feira, 2 de outubro de 2012

"O coração tem imbecilidades que a estupidez desconhece." Millôr Fernandes
"Tem vontade que Coca-Cola mata, tem tristeza que com cerveja acaba. Tem sufoco que abraço apertado ampara, tem lembrança que só com vodka se apaga. Tem solidão que com chocolate vira companhia...E tem saudade que só você alivia."

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

“Eu sou uma vítima do meu próprio interior. Houve uma época em que eu queria saber tudo… Isso costumava me deixar muito infeliz, todo aquele sentimento. Eu não sabia o que fazer com ele. Mas agora eu aprendi a fazer com que aquele sentimento trabalhe para mim. Estou cheia de emoção e eu quero liberar, e se você está em cena e se está realmente funcionando e você tem o público com você, é uma sensação única que você sente.”
Janis Joplin