Páginas

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

"Pode ser que existam sentimentos maiores ou melhores que o amor. Mas não há nada parecido."

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

"Num daqueles dias solitários, a insônia bateu mais forte. Fiz um cafuné em mim mesmo, até pegar no sono. Ninguém é sozinho no mundo."
"Deu aquela risada forçada. HAHAHA. Beijou de mentirinha. Disse obrigado, obrigado. Cultivou só flores de plástico. Nadou só na parte rosa.
Fechou os olhos pela última vez, sem nunca tê-los aberto de verdade."
"Cicatriza ferida, pois tudo na vida é eterna partida."
"Você me fascina!"

Charles Schulz
Charles Schulz

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

"Eu não conhecia o garoto que derrubou o segurança para tentar abrir a porta e tentar escapar da morte; eu não conhecia a menina que simplesmente jogou os sapatos de salto em um canto e correu para onde todos estavam indo, na esperança de ver o céu escuro e seguro do lado de fora da boate; eu não conhecia a banda, que por mais que não soubessem das consequências, matou mais de duzentos e quarenta pessoas; mas nesse momento, a única coisa que me resta conhecer é um Brasil que não sabe dizer o quanto sente muito por não ter mais saídas disponíveis naquele lugar; é uma mãe, que chora desesperada porque o filho não vai mais voltar pra casa; é um irmão, que não acredita que o possível "herói" dele está morto. Todo mundo morreu um pouquinho ao ouvir no noticiário que tantas vidas, tantas almas novas se foram sem realizar seus sonhos, sem alcançar suas expectativas, sem um adeus digno. Ninguém sabe se abraça os pais, se acalma as crianças ou as deixa chorar, se fica revoltado com as falhas enormes que custaram vidas, ou se tenta viver como se nada tivesse acontecido, como se não se importasse. E tudo isso me dói, me dói saber que poderia ter sido com alguém próximo, que eu amasse, alguém que me fizesse sorrir todo dia, porque querendo ou não, o motivo de alguém ser feliz não está mais entre nós. Não há mais nada o que fazer; os corpos já estão no legista, as lágrimas já rolaram, a respiração já foi sessada, e os "eu te amo" já não foram ditos. Pra nós, os vivos, resta tirar uma lição disso: viver. É tão clichê dizer que é pra se viver o agora, sem esperar o amanhã quando o trabalho nos ocupa todo dia, quando não nos importamos mais com o que fazer para o jantar, quando um abraço e um beijo são trocados somente em momentos ultra especiais, porém eu só peço que procurem não ter arrependimentos ou coisas pendentes na vida; se é pra fazer, que faça hoje, não espere o depois, porque como aprendemos com a tragédia na boate em Santa Maria, o amanhã pode não chegar, não é mesmo?"

domingo, 27 de janeiro de 2013

"Enganada estava Ana que, toda vez antes mesmo de voltar para casa, tinha de esconder suas lágrimas e seus cigarros no bolso de trás de sua calça."
‎"Morri em Santa Maria hoje. Quem não morreu? Morri na Rua dos Andradas, 1925. Numa ladeira encrespada de fumaça. A fumaça nunca foi tão negra no Rio Grande do Sul. Nunca uma nuvem foi tão nefasta. Nem as tempestades mais mórbidas e elétricas desejam sua companhia. Seguirá sozinha, avulsa, página arrancada de um mapa. A fumaça corrompeu o céu para sempre. O azul é cinza, anoitecemos em 27 de janeiro de 2013. As chamas se acalmaram às 5h30, mas a morte nunca mais será controlada. Morri porque tenho uma filha adolescente que demora a voltar para casa. Morri porque já entrei em uma boate pensando como sairia dali em caso de incêndio. Morri porque prefiro ficar perto do palco para ouvir melhor a banda. Morri porque já confundi a porta de banheiro com a de emergência. Morri porque jamais o fogo pede desculpas quando passa. Morri porque já fui de algum jeito todos que morreram. Morri sufocado de excesso de morte; como acordar de novo? O prédio não aterrissou da manhã, como um avião desgovernado na pista. A saída era uma só e o medo vinha de todos os lados. Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro. Mais de duzentos e cinquenta jovens sem o último beijo da mãe, do pai, dos irmãos. Os telefones ainda tocam no peito das vítimas estendidas no Ginásio Municipal. As famílias ainda procuram suas crianças. As crianças universitárias estão eternamente no silencioso. Ninguém tem coragem de atender e avisar o que aconteceu."

Fabrício Carpinejar

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

‎(...) "Que é da natureza da dor parar de doer, tenho aprendido."

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

“Um dia de monja, um dia de puta, um dia de Joplin, um dia de Tereza de Calcutá, um dia de merda enquanto seguro aquele maldito emprego de oito horas diárias para poder pagar essa poltrona de couro autêntico onde neste exato momento vossa reverendíssima assenta sua preciosa bunda e essa exótica mesinha de centro em junco indiano que apóia vossos fatigados pés descalços ao fim de mais uma semana de batalhas inúteis, fantasias escapistas, maus orgasmos e crediários atrasados. “

Caio Fernando Abreu

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

''Ninguém sabe direito o que é felicidade, mas, definitivamente, não é acomodação. Acomodar-se é o mesmo que fazer uma longa viagem no piloto automático. Muito seguro, mas que aborrecimento. É preciso um pouquinho de turbulência para a gente acordar e sentir alguma coisa, nem que seja medo."

Martha Medeiros

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

"Nem toda palavra é
Aquilo que o dicionário diz
Nem todo pedaço de pedra
Se parece com tijolo ou com pedra de giz

Avião parece passarinho
Que não sabe bater asa
Passarinho voando longe
Parece borboleta que fugiu de casa

Borboleta parece flor
Que o vento tirou pra dançar
Flor parece a gente
Pois somos semente do que ainda virá

A gente parece formiga
Lá de cima do avião
O céu parece um chão de areia
Parece descanso pra minha oração

A nuvem parece fumaça
Tem gente que acha que ela é algodão
Algodão às vezes é doce
Mas às vezes é doce não

Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Ah ... e o mundo é perfeito
Hum ...e o mundo é perfeito
E o mundo é perfeito

Eu não pareço meu pai
Nem pareço com meu irmão
Sei que toda mãe é santa
Mas a incerteza traz inspiração

Tem beijo que parece mordida
Tem mordida que parece carinho
Tem carinho que parece briga
Tem briga que aparece pra trazer sorriso

Tem sorriso que parece choro
Tem choro que é por alegria
Tem dia que parece noite
E a tristeza parece poesia

Tem motivo pra viver de novo
Tem o novo que quer ter motivo
Tem aquele que parece feio
Mas o coração nos diz que é o mais bonito

Descobrir o verdadeiro sentido das coisas
é querer saber demais
Querer saber demais

Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar

Mas o sonho
Sonho parece verdade
Quando a gente esquece de acordar
E o dia parece metade
Quando a gente acorda e esquece de levantar
Ah ... e o mundo é perfeito
Mas o mundo é perfeito
O mundo é perfeito..."

O Teatro Mágico - sonho de uma flauta

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

"Mude o modo que você olha para as coisas e as coisas que você olha mudarão."

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

“Não há nada como a respiração profunda depois de dar uma gargalhada. Nada no mundo se compara à barriga dolorida pelas razões certas.”

As vantagens de ser invisível
"Felicidade, disse o mais tolo
"Felicidade não existe"
O intelectual, não no sentido lato
O empresário, desde que haja lucro
O operário sem emprego, nem pensar
O cientista ainda será descoberta
O místico está escrito nas estrelas
O político, poder
A igreja, sem tristeza, impossível.
Amém

O poeta riu de todos
E por alguns minutos foi feliz"

O Teatro Mágico - Felicidade
"Tem pessoas que por acaso ou destino acabam entrando na nossa vida e antes de nos darmos conta ela vira tudo de cabeça pra baixo, tira o seu chão...Mas ei! Tem gente que gosta."
"Ela era do tipo que podia se apaixonar por vários todos os dias...mas o que queria mesmo era se apaixonar por um várias vezes ao dia."

domingo, 13 de janeiro de 2013

"Era um completo amador, mas não é que ele não sabia fazer nada direito, é que amava tudo que fazia."
"Chega de amar, chega de doar. Chega de doer."

sábado, 12 de janeiro de 2013

"Retórica dos namorados, dá-me uma comparação exata e poética para dizer o que foram aqueles olhos de Capitu. Não me acode imagem capaz de dizer, sem quebra da dignidade do estilo, o que eles foram e me fizeram. 
Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá idéia daquela feição nova. 
Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca. 

Para não ser arrastado, agarrei-me às outras partes vizinhas, às orelhas, aos braços, aos cabelos espalhados pelos ombros, mas tão depressa buscava as pupilas, a onda que saía delas vinha crescendo, cava e escura, ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me. 
Quantos minutos gastamos naquele jogo? Só os relógios do céu terão marcado esse tempo infinito e breve. "

Capitu

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

‎"Ela era ela e era outras. A multiplicidade humana, é isso. Dois nunca são dois, são 17 de cada lado. E quando você pensa que conhece todos, aparece o décimo oitavo."
‎"Com o tempo você compreende que todos os seus passos fazem parte de um plano, mas nem sempre você vai entender qual é. Que anjos nem sempre possuem asas e que paz é uma palavra que pode dizer muitas coisas. Que fugir as vezes não é uma opção e você só percebe o quanto é forte quando é obrigado a ser. Que família não é só quem compartilha do mesmo sangue que você e que amigos não são só um grupo de pessoas que você conquistou ao longo da vida. Que a fé é uma força além do entendimento, mas menor que o ser que nos inspira a tê-la. Começa a ver a essência das coisas e das pessoas e entende que não deve machucar alguém que você ama só porque esse alguém te feriu. Machucar alguém que você ama significa se machucar duas vezes. Percebe que nem sempre temos resposta pra tudo e nem devemos ter. Que ouvir significa muito mais do que escutar e que nem sempre são necessárias palavras pra dizer algo. Que maturidade é a única coisa que independe de cor, raça e credo. Que só conseguimos entender a grandiosidade de ajudar quando precisamos de ajuda. Que não saber o que fazer também é uma decisão. Que devemos caminhar todo dia, de pouco em pouco, mas sempre deixar a última porta aberta. Voltar atrás não é vergonha pra ninguém. Que você é menor do que pensa, mas é exatamente do tamanho que merece ser. Que sonhar nos leva ao lugar que devemos estar e que o 'ideal' é só imaginação. Que não ter tudo nos faz mais humanos. Que devemos fazer de tudo uma lição e a principal delas é ler sempre a página do dia. Nunca a de ontem, nunca a de amanhã. E nunca deixar de ler."
"Tenha sempre um horizonte, um destino distante, e sonhe com ele todos os dias, todas as noites. Um dia, você desperta e descobre, ainda coberta e sonolenta, que viver é tentar alcançar esse horizonte. E tocá-lo é, de certa forma, se descobrir. E trocá-lo é, de alguma maneira, morrer."

Diz instante, Antônio

"Minha vontade agora é sumir. Chamar você. Me esconder. Ir até a sua casa e te beijar e dizer que te amo e que você é importante demais na minha vida para eu te abandonar."

domingo, 6 de janeiro de 2013


‎"Segunda-feira é mais difícil porque é sempre a tentativa do começo de vida nova. Façamos cada domingo de noite um reveillon modesto, pois se meia noite de domingo não é começo de ano novo é começo de semana nova, o que significa fazer planos e fabricar sonhos!"

‎"...Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.  Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer...Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável. Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples. Um dia percebemos que o comum não nos atrai. Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom. Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você. Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas". Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso...Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais. Enfim, um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos
todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito. O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas
as nossas loucuras. Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação."

sábado, 5 de janeiro de 2013

"Eu nunca acreditei na solidão dos seus olhos, que são dois. Eles não veem a responsabilidade que têm ao carregar você. E se um chora, o outro, ali do lado, abafa o choro, e mesmo sem saber falar, encontra palavras de conforto; e mesmo sem mãos, sem lenço: eles se entendem. Seus olhos não poderiam pertencer a nenhum outro rosto. Só você pode fechá-los quando o medo de encarar o amor se aproxima. Só você pode abri-los quando esse mesmo medo vai embora, dobra uma esquina qualquer se some em algum lugar bem distante do seu campo de visão: você não pertence a ninguém.

Eu pertenço ao seu mundo não porque sou seu, mas porque seus olhos me entendem. Confesso: invejo-os: só eles podem te ver dormir sem te acordar, e observar seus sonhos sem sair de dentro do seu mundo: sem sumir de você. Infelizmente, nunca te tive. Não precisei. Você sempre conviveu e se manteve tão bem aqui: na minha imaginação. Sonhada e protegida pelas minhas mãos que não te tocam: não porque não querem: porque não podem. Só eles conseguem te ver por inteira: como um mirante, no porto seguro do seu coração. Ou talvez um farol que ilumina o mar negro – ora calmo, ora agitado – onde as ondas mais violentas escolhem as praias mais distantes, talvez suas mãos, para quebrar sem ninguém perceber. Tenho certeza que essas ondas são amores que se encolhem por medo de não serem grandes o suficiente para suportar a dor da conquista. Os amores são sempre frágeis. Os amores serão sempre dóceis. E seus olhos imóveis, naquela manhã, moveram o mundo para você despertar, todas as outras manhãs, no meu."

[antes de você abrir os olhos - parte II, Antônio]
"Antes de você abrir os olhos, o mundo se fechou. Algumas palavras até sumiram, os poemas mais tristes parecem ter evaporado na escuridão: aquela tela negra, sem moldura, exposta na galeria infinita e inalcançável: o céu. As estrelas precisaram se apagar e ficaram imóveis, estáticas, como se admirassem algo mais brilhante do que elas: você sonhando, por exemplo. As últimas folhasse desprenderam delicadamente dos últimos galhos das últimas árvores coloridas: o outono acabou de acabar: e nenhuma outra estação quis aflorar. Nem a primavera, que combinava tão bem com a poesia da sua fala tão delicada. Nem o verão, que aquecia tão bem suas mãos tão frias. Nem o inverno, que congelava cada eu te amo pronunciado pelos seus lábios finos no tempo, na neve, em nós. E os olhos grandes e quase negros que apareciam no final dos meus sonhos mais confusos, eram seus. Tenho certeza. Não absoluta. Mas tenho certeza. Eles formavam duas luas cheias, circulares: símbolo da eternidade. Sim, a eternidade nasce e morre todos os dias em você. Ela precisa da sua doçura, quase maternal, para acontecer para sempre. Eram duas luas negras: talvez de planetas que nem existem mais, ou que nunca existiram, e que qualquer poeta criaria, ou recriaria, só para vê-los decorando a imensidão do céu ou condecorando a pequenez do mundo diante da grandeza dos seus olhos. E lá de dentro, posso enfim observar a beleza da vida: da morte: as dores nunca sentidas: os sentimentos mais dolorosos. E ainda assim, eles riem. Sim. Sem dentes, sem lábios, sem motivos. Eles riem. E, quando sua gargalhada escapa da traqueia, o canto dos seus olhos dobra e forma pequenas rugas: pequenos caminhos: atalhos. Como se seu sorriso quisesse escapar da cadeia das suas pálpebras, que preservam encantos que você não mostrará a ninguém. É segredo. É mistério. É seu. É silêncio."

[antes de você abrir os olhos, parte I - Antônio]

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

"(...) quis beber mais para chorar baixinho repetindo eu não mereço, eu não mereço, não me deram chance alguma a culpa não foi minha, sempre a mesma solidão, eu devia estar acostumado, eu só queria e era tão simples, muitas vezes." 

(Caio Fernando Abreu - Pela Noite - Triângulo das Águas)

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

"Quando você me deixou, meu bem, me disse pra ser feliz e passar bem. Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci, mas depois, como era de costume, obedeci. Quando você me quiser rever, já vai me encontrar refeita, pode crer! Olhos nos olhos, quero ver o que você faz ao sentir que sem você eu passo bem demais."

Chico Buarque